terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Agricultura acelerou a evolução humana

Análise de padrões comuns de variação genética revela que os humanos têm evoluído mais rapidamente na história recente

David Biello

RITMO ACELERADO – A evolução humana ficou mais rápida graças à explosão populacional motivada pela agricultura.
O Homo sapiens sapiens se espalhou pelo globo e aumentou esmagadoramente em número nos últimos 50 mil anos – de estimados cinco milhões de pessoas em 9.000 a.C. para os cerca de 6,5 bilhões de hoje. Um número maior de pessoas significa mais oportunidades para que as mutações cheguem despercebidas ao genoma humano básico, e novas pesquisas confirmam que nos últimos 10 mil anos assistiram a uma série de mudanças em tudo, da digestão aos nossos ossos.

“Descobrimos muitos genes humanos passando por uma seleção”, explica o antropólogo Gregory Cochran, da University of Utah, membro da equipe que analisou 3,9 milhões de genes que demonstraram uma variação maior. “A maioria é muito recente, o que indica que o ritmo da evolução humana nos últimos milhares de anos é muito mais veloz que nos últimos milênios”.

“Acreditamos que isso possa ser explicado por um aumento no poder da seleção à medida que os humanos se tornaram agricultores – uma grande mudança ecológica –, e houve uma grande elevação no número de mutações favoráveis à medida que a agricultura levou a um aumento populacional”, ele afirma.
Há cerca de 10 mil anos, a humanidade passou pela transição de uma vida de caçadores e coletores para o plantio de alimentos e a domesticação de animais. Como isso concentrou as populações, doenças como a malária, a varíola e a tuberculose, entre outras, se tornaram mais virulentas. Ao mesmo tempo, a nova alimentação com base na agricultura impôs seus próprios desafios – incluindo a deficiência de ferro no organismo devido à falta de carne, além das cáries e uma estatura mais baixa por causa da má alimentação, explica o antropólogo John Hawks, da University of Wisconsin–Madison, outro membro do grupo.

“O corpo e os dentes dessas pessoas encolheram, assim como seu cérebro”, ele completa. “No entanto, elas começaram a apresentar novos alelos (formas alternativas de genes), que os ajudaram a digerir os alimentos com maior eficiência. Os novos alelos protetores permitiram a uma fração da população sobreviver melhor às terríveis doenças.”

Ao observar as fileiras de material genético que mudavam pouco de pessoa para pessoa dentro dessas seções de grande variação, os pesquisadores identificaram regiões que apareceram recentemente e conferiam algum tipo de vantagem (porque se tornaram comuns rapidamente). Por exemplo, o gene conhecido como LCT deu aos adultos a capacidade de digerir leite, enquanto o G6PD ofereceu algum tipo de proteção contra a malária causada pelo parasita Plasmodium falciparum.
“Há dez mil anos, ninguém no planeta tinha olhos azuis”, ressalta Hawks, pois esse gene – OCA2 – ainda não tinha se desenvolvido. “Somos diferentes das pessoas que viveram 400 gerações atrás em maneiras muito óbvias, visíveis a olho nu.”

A comparação da quantidade de diferenciação genética entre os humanos e nossos parentes mais próximos, os chimpanzés, indica que o ritmo das mudanças foi acelerado entre 10 e 100 vezes, relatam os pesquisadores no Proceedings of the National Academy of Sciences USA.

Mas nem todas as populações demonstram a mesma “velocidade evolutiva”. Os africanos, por exemplo, mostram um ritmo um pouco mais lento de mutação. “Os africanos não tiveram que se adaptar a um clima muito diferente”, já que a humanidade evoluiu onde eles moram, explica Cochran. “Europeus e asiáticos do Leste, por sua vez, vivem em ambientes muito diferentes daquele de seus ancestrais africanos e primeiros agricultores, e eram mal-adaptados a eles”.

Esse ritmo acelerado de evolução não diminuirá até que toda mutação benéfica possível comece a acontecer – no ritmo máximo de adaptação. Isso já começou a ocorrer em algumas regiões com a cor da pele: grupos diferentes de genes são responsáveis pela tez mais clara de europeus e asiáticos do Leste, de acordo com os pesquisadores. 
 
Fonte: Scientific American

32 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. É muito interessante saber desta informação, porque há questionamentos sobre a evidencia parentesca entre humanos e macacos baseados na seguinte interrogação, se evoluímos dos mesmos descendentes, porque paramos de evoluir, esse fato cientificamente comprova que não paramos de evoluir, pelo contrário, estamos evoluindo de forma mais acelerada, e em menos tempo, se comparado às antigas gerações.

    Leonésia Leandro 6º período.

    ResponderExcluir
  3. Bom essa questão da Agricultura acelerar a evolução humana, eu concordo em partes. Verdade sim, que quando o ser humano aprendeu a cultivar houve sim um aumento populacional e a expectativa de vida também aumentou, pois o homem "deixou de ser caçador", ele obteve mais facilidades e disponibilidade de alimentos. No entanto, não foi somente a agricultura que ajudou na evolução, as formas de se relacionar com a natureza, a domesticação de animais, a migração e uma serie de fatores, ajudou na evolução. Atualmente, com tanta tecnologia, estudos genéticos avançados, e uma alimentação cada vez mais diversificada(para alguns) e modificada geneticamente, remédios, tratamentos de doenças com substâncias tóxicas e radioativas e uma série de fatores comportamentais. As mutações vão acontecendo de forma mais rápida, tanto as benéficas quanto as maléficas, isso vai acelerando a evolução humana.

    ResponderExcluir
  4. Vejo essa "acelerada evolução humana" como um fator natural que acontece de acordo com o tempo, com o avanço das pesquisas, do desenvolvimento de tecnologias. Desde o princípio o homem sempre procurou formas de aumentar a sua sobrevivência (não só o homem, mas todos os animais procuram ambiente e condições favoráveis para sobreviverem e se reproduzirem, como a Ecologia já comprovou), essa busca resultou em melhor alimentação, desenvolvimento de técnicas para combater doenças, para estabelecer moradias, e etc., o que provoca mudanças naturais também no corpo, para que aproveite todos estes ganhos (se adapte, uma ação natural). Minha crítica é feita com relação a mudanças significativas, morfologicas e/ou fisiológicas, que nos diferenciem a tal ponto até de sermos considerados outra espécie (não só os humanos, mas com os outros seres vivos). Por isso concordo com o questionamento de que "se a evolução acontece, por que ela parou? Por que não vemos mais acontecer?".

    ResponderExcluir
  5. Concordo com Cintia, qundo ela ressalta que não foi somente a agricultura que ajudou na evolução, mas muitos outros fatores influenciaram e continuam influenciando nesse processo, como as formas de se relacionar com a natureza, a domesticação de animais, a migração. E acredito, que essa evolução não parou, que a medida que a populaçao cresce, a evolução se acelera, como acreditam alguns pesquisadores.

    ResponderExcluir
  6. É verdade que a agricultura ajudou muito no desenvolvimento da população, pois por meio dela o ser humano pôde então plantar seus próprios alimentos facilitando assim a forma de viver já que tempos atrás eles tinha que se mudar de lugares devido a falta de condições necessárias para sua sobrevivência. Falando então da evolução humana é verdadeiramente aceita tratando da parte que o ser humano tem evoluído adaptando-se no meio em que vive, já na parte em que a ciência diz que evoluímos dos macacos não concordo porque se tivéssemos mesmo evoluído porque não continuamos evoluindo????????????

    ResponderExcluir
  7. Realmente acredito que o aumento da população possa ter relação com a agricultura, principalmente por tornar mais acessível o alimento, e apartir desse crescimento populacional foram havendo seleções e mutações que favoreceram na perpetuação da espécie, e assim como em todos os animais existentes as características mais favoráveis foram sendo mais desenvolvidas causando uma evolução das espécies. Porém com relação ao ser humano acredito que a evolução possa ter “parado” com relação às características físicas podendo assim dizer que tenha chegado ao seu “ideal” fisicamente, já que o ser humano tem uma grande facilidade de se adaptar a diferentes ambientes, mas essa evolução possa estar acontecendo no intelectual desta espécie.
    Samuel Alves 7º período.

    ResponderExcluir
  8. Relacionar a agricultura com o avanço da evolução humana é uma forma de priorizar somente aspectos alimentares não esquecendo que muitos outros fatores contribuíram para isso. O ser humano, na sua evolução, passou por muitas fases de adaptação, tanto climáticas, social e também alimentar. Foi muito importante o avanço da coleta e captura de animais para a agricultura, onde o homem pode se estabelecer em um local e produzir seu próprio alimento. Além da evolução e do aumento da população, também acompanhou o homem, os problemas de saúde, as doenças que acabaram por matar muitos homens. A agricultura trouxe seus benefícios proporcionando a aquisição de uma nova dieta alimentar e de outra forma de interação entre os homens. O tempo, clima, também mudou e novas formas de adaptação foram necessárias. A crescente evolução dos homens tem muita relação com a variação genética e prova que o homem está evoluindo mais e mais.

    João Lima 7° período

    ResponderExcluir
  9. Achei interessante esse frase do texto onde discorre “ a humanidade passou pela transição de uma vida de caçadores e coletores para o plantio de alimentos e a domesticação de animais.” Percebemos um grande avanço evolutivo da espécie humana, e a cada dia que passa nota-se as relações sendo modificadas, ao mesmo tempo isso traz uma grande preocupação uma vez que o homem com esse traço evolutivo vem perdendo os valores e o cuidado com a natureza e tudo o que a envolve.

    Concordo também com o colega João onde discorre que a agricultura trouxe benefícios a exemplo da dieta alimentar mas sem deixar de lembrar também o malefícios que o próprio homem vem trazendo a sua saúde utilizando técnicas como agrotóxicos.

    ResponderExcluir
  10. Achei muito interessante a junção da evolução com a agricultura. A afirmação de que a evolução humana ficou mais rápida graças à explosão populacional motivada pela agricultura pode ser explicada pelo aumento na seleção natural à medida que os seres vivos se tornaram agricultores, dessa forma afetou em uma grande mudança ecológica, alterando a densidade populacional e ocorrendo a elevação de mutações, introduzindo novos alelos.

    Luana Carvalho - 6º período

    ResponderExcluir
  11. Acredito, que a agricultura por si só não contribuio para o processo de avanço da Evolução. Houve diversos fatores que fizeram parte desse avanço.
    Concordo, também com a colega Daiane Matos onde descreve que há um grande avanço evolutivo da espécie humana, e que a cada dia que passa nota-se as relações sendo modificadas.

    ResponderExcluir
  12. É fato que a evolução humana acelerou de maneira espetacular, pois o ser humano sendo, dotado de inteligência desenvolve-se e evolui desde seu surgimento na terra. Após a descoberta da agricultura, o homem não necessitava mais ser nômade, ele podia, enfim, se estabelecer próximo a rios, passando a viver do cultivo da terra, porém não só a agricultura mais vários fatores contribuíram para essa aceleração.

    ResponderExcluir
  13. Bem como o João disse o ser humano passou por muitas fases de adaptação e estabelecer um espaço para produzir seu alimento foi uma dessas adaptações. O aumento da população e da expectativa de vida, veio por meio dessa “facilidade” de obtenção dos alimentos. Porém como cita Cíntia, as formas de tratar a natureza e a domesticação de animais ajudaram na evolução. Há também o auxilio dos laboratórios de genética que modificam medicamentos, alimentos, e até animais. As mutações ocorrem de forma tão rápida que nem a evolução consegue explicar...

    ResponderExcluir
  14. Vale ressaltar aqui que evoluir é algo que demanda um certo espaço de tempo, não estamos se transformando num passe de mágica e sim evoluindo como diz o próprio texto. Evolução esta que vem se acelerando nos ultimos tempos, e pode ser visivelmente percebida se levarmos em consideração que em apenas 10 mil anos deixamos de coletar e caçar para domesticar e plantar. Um outro estudo genético (http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2012-11-28/estudo-genetico-mostra-recente-evolucao-humana.html) realizado com 5 mil pessoas identificou a intensa ocorrência de mutações no DNA Humano nos últimos cinco mil anos.
    Estamos evoluindo! Não é notoriamente visível a transformação do Homo Sapiens, mas provavelmente nossas futuras gerações poderão sim evoluir para Homo Ciberneticus.

    ResponderExcluir
  15. Se ouvi uma aceleração na população humana,natural que a agricultura também precise evoluir para
    alimentar essa imensa população que habita nosso planeta.Mas como nada é perfeito para que houvesse a evolução da agricultura foi preciso utilizar de meios quimicos que prejudicam a saúde humana.

    Iara Dantas 6º período CCINT SB

    ResponderExcluir
  16. Concordo com alguns colegas na defesa de que o ser humano passou por muitas fazes de adaptação ao longo de todos esses anos, e que de certa forma agricultura está em parte envolvida nessas mudanças,de acordo com alguns estudiosos,andamos sobre duas pernas, possuimos cérebro e colonizamos cada canto da Terra, enquanto isso, Antrópologos e biólogos procuram sempre, entender como a nossa raça diferenciou-se tão profundamente do modelo primata,no entanto, um conjunto de evidências levam a realidade de uma linha em comum,entre elas, o resultado da Seleção Natural,no qual mudanças na oferta de alimentos parecem ter influênciado fortemente nossos ancestrais Hominídeos, assim em um sentido evolutivo somos o que comemos.

    Solineide P. da Silva, 7º período

    ResponderExcluir
  17. Concordo que a chegada da agricultura foi essencial para o processo evolutivo. Através dela o homem tornou se mais independente, o que contribuiu para o seu desenvolvimento. No entanto, também acredito que outros fatores não mencionados no texto também foram de grande relevância para tal processo.

    ResponderExcluir
  18. A mudança de hábitos alimentares do homem com a inserção da agricultura com certeza houve uma grande mudança no seu desenvolvimento e essas mudanças continuam ocorrendo, pois o ser humano assim como todo e qualquer animal está sempre em busca de adaptações para o seu bem estar, e em meio a correria do dia a dia onde tudo ocorre de forma muito ágio,vai ocorrendo mutações e mudanças evolutivas em ritmo acelerado implicando em certas diferenças, que como citado no texto: “Somos diferentes das pessoas que viveram 400 gerações atrás em maneiras muito óbvias, visíveis a olho nu.”

    ResponderExcluir
  19. Jair

    O texto revela que a análise de padrões comuns de variação genética revela que os humanos têm evoluído mais rapidamente na história recente

    ResponderExcluir
  20. O texto fala que o aumento populacional foi motivado pela agricultura. O homem aprendeu a caçar e pescar, no qual ele começou a produzir seu próprio alimento. Onde cada vez mais ele foi aprimorando essas técnicas de cultivo. Portanto, a agricultura é muito importante para a humanidade, mas com esses avanços trouxe os malefícios que são os agrotóxicos que muito prejudicam a saúde do homem.

    ResponderExcluir
  21. Realmente houve aumento significativo na população humana, mais acredito que não foi somente responsabilidade da agricultura, ocorreu a contribuição de outros fatores. Com um aumento considerável de individuo, é claro que a probabilidade de doenças iria aumentar. Mas graças aos alelos protetores, esse índice de doenças não contagiara toda população. É certo que a evolução esta acontecendo até hoje, estamos no processo de mudando de forma continua e gradativamente.

    Rita de Cássia 7º período.

    ResponderExcluir
  22. Cada vez mais o homem busca coisas novas tentando facilitar sua própria vida, o desenvolvimento da agricultura é um exemplo, que melhorou o acesso ao alimento, e isso fez com que os alimentos naturais fosse cada vez menos utilizados devido a grande quantidade cultivada, sabendo- se que na produção desses alimentos por muitas vezes usam-se agrotóxicos e inseticida que prejudicam a saúde humana podendo lhe causar modificações.

    Lucicleide Ferraz 7º período

    ResponderExcluir
  23. Nunca tinha parado para pensar sobre a evolução humana ser contínua. Acho que pelo fato de sermos considerados racionais, conclui que seriamos uma excessão... E lembrando, segundo a teoria quanto mais aumenta a população, maior é a variação da espécie.
    Como fala no texto a alimentação com base na agricultura contribuiu muito para a nutrição, pois na falta da caça e da pesca era ela que sustentava os humanos. No entanto, eles tiveram mais cáries e reduziram a altura.

    ResponderExcluir
  24. Concordo que o desenvolvimento da agricultura possibilitou um maior crescimento populacional, culminando assim, numa maior diversidade. Porém, não só a agricultura contribui para essa evolução. Se como surgimento da agricultura o homem não tivesse desenvolvido seu intelecto, procurando alternativas para se viver “melhor”, talvez as mutações genéticas não estivessem sendo tão rápidas. Outros fatores também interferem para a rapidez evolutiva dos humanos, ou de determinadas sociedades, como por exemplo, a forma como o pensamento está sendo trabalhado, como as pessoas estão pensando o mundo para si e para o outro. Se analisarmos a sociedade ocidental e a sociedade africana, veremos que assim como o clima, outro grande elemento que possibilitou transformações genéticas, é a forma cultural como se pensa o mundo e os corpos. Acredito que os ocidentais sofrem mais mutações gênicas que os africanos, pois, a alimentação é diferente e mais abundante, a interferência da mídia (provocando uma procura maior por produtos de beleza e drogas), a possibilidade de comunicação, de migrações e emigrações, ou seja, ocidentais estão mais expostos para que ocorram modificações na estrutura genética.

    Fernanda Santana – 7º período

    ResponderExcluir
  25. Bom, é necessário povoar a terra para que nossa espécie não deixe de existir, na verdade o ser humano assim como todos os animais procurou seu espaço no território terrestre, porém por ser o mais evoluído passou a deixar um maior número de descendentes. O desenvolvimento da agricultura foi melhor para facilitar o acesso ao alimento, no entanto o uso de agrotóxicos e pesticidas podem está afetando os seres humanos, podendo assim causar mais um indico de evolução.

    ResponderExcluir
  26. Acredito sim que a agricultura tenha sido muito importante para o desenvolvimento e evolução do homem quando a relacionamos com aspectos alimentares, mas acredito também que existiram outros fatores fundamentais para tal, como por exemplo as formas de se relacionar com a natureza, a migração e uma serie de outros fatores.

    ResponderExcluir
  27. o TXTO MOSTRA QUE EVOLUIR ESTA sempre ligado com adaptação, a partir que a especie humana deteu o poder de cultivar seu alimento passou por um processo diversificado das demais especies deixou de competir!! e evoluir num contexto diferente!

    ResponderExcluir
  28. Fato que agricultura foi muito importante para o desenvolvimento e evolução do homem, mas não é unico fator e nem o mais importante... Inumeros fatores contribuiram e contribuem de forma significativa para essa evolução.

    ResponderExcluir
  29. A evolução depende da adaptação que os seres desenvolvem sejam com relação ao seu modo de obter alimentos seja com o meio que está inserido. A agricultura não foi o fator determinante nesse desenvolvimento, ele foi sim um dos muitos!

    ResponderExcluir
  30. A agricultura, foi e é importante para o homem, mas talvez n tenha sido ela o fotor crucial para a evolução, apesar do uso de substancias quimicas. Talvez a mudança de clima, temperatura, quantidade de recusrsos, tenha um valor mais significativo nessa questão.

    Edilaine de J. Oliveira

    ResponderExcluir
  31. Percebemos a evidência parental entre humanos e macacos, e que se evoluímos dos mesmos descendentes, esse fato cientificamente comprova que não paramos de evoluir, pois, estamos evoluindo de forma mais acelerada, e em menos tempo, se comparado às antigas gerações.

    ResponderExcluir
  32. Baseado no texto, pode-se concluir que o processo da evolução é constante independente do grau que esta pode representar. O homem no entanto, seria um excelente exemplo para esta explicação, uma vez que descende do Homo sapiens e, ao decorrer do tempo pôde adquirir novas características. Essas características não se fixam, pelo contrario continuam se desenvolvendo e dando novas formas aos seres humanos.

    ResponderExcluir